- Início

- Conteúdo

Entrevista com Meire Monte, Jovem Talento de RH do último Top of Mind

Compartilhe Este Post

O que é preciso para alcançar o sucesso em Recursos Humanos? O questionamento está presente com frequência no cotidiano de muitos jovens brasileiros que desejam conquistar o “lugar ao sol” na profissão. Nesse contexto, Meire Monte – vencedora na categoria de Jovem Talento da 21ª edição do prêmio Top of Mind de RH – destaca-se como gerente de Recursos Humanos da área de Tecnologia do Mercado Livre. Recentemente, a companhia líder no segmento de comércio eletrônico na América Latina, ficou na sétima posição do ranking de melhores empresas para se trabalhar ao redor do mundo realizado pela consultoria  Great Place to Work (GPTW) sendo a única prestadora de serviços latino-americana a fazer parte do grupo de marcas no top 10.

Na prática, o segredo de Meire é simples: “gosto bastante de estudar”, revelou durante uma entrevista para a equipe de redação do RH Pra Você, portal parceiro do Top of Mind. Além de apresentar uma formação em Gestão de Recursos Humanos, a executiva conta no currículo com duas pós-graduações (Psicologia Organizacional e Administração de Recursos Humanos). E, o repertório não para por aí. Ela tem certificação em coach e enfrentou uma segunda graduação em Pedagogia. Quer saber um pouco mais a respeito da trajetória dela? Confira abaixo o bate-papo na íntegra.

RH Pra Você: O que despertou o seu interesse pelo universo de RH?

Meire Monte: Trata-se de um elemento fundamental para a organização desde que gerido de maneira adequada, pois é aquela que acompanha o business a fim de traçar os caminhos ideais de impulsionamento de pessoas e iniciativas de inovação. Ou seja, em vez de ter um posicionamento burocrático deve exercer o papel de parceira do negócio. No meu caso, iniciei aos 15 anos no mercado de trabalho dentro do subsistema de Administração de Pessoal. Ao perceber os impactos da área na cadeia organizacional, me identifiquei. Alinhada a minha facilidade de compreender os desafios do setor e falar a linguagem corporativa, não tive dúvidas. Fiz uma rotação de Administração de Pessoal para Desenvolvimento Humano e Organizacional e sabia que era a decisão de carreira mais assertiva.

RH Pra Você: Comente sobre os principais desafios que você enfrentou ao longo da sua trajetória profissional.

Meire Trabalhar com pessoas é desafiador em muitos sentidos. Ao longo da minha trajetória me deparei com situações práticas como quando presenciei um caso de distanciamento entre os membros da equipe que refletia de maneira negativa desde a taxa de turnover até a evolução do negócio em si. No momento de agir, trouxe a liderança para discussões, atuei com direcionamentos organizacionais, idealizei programas atrativos aos colaboradores e passei a interagir com todas as pessoas a ponto de chamá-las pelos nomes. Outro fator decisivo nesse episódio foi o uso de métricas a fim de mostrar a clara eficiência das ações promovidas. No final, houve um alto engajamento do time, queda de turnover, líderes como multiplicadores das estratégias de RH e a abertura de um canal de confiança. Já no Mercado Livre, a primeira dificuldade foi ingressar na rotina da área de Tecnologia. O grupo não entendia o papel e a importância de um business partner enxergando somente o trabalho de recrutadora. Portanto, foi necessário conscientizá-los sobre a função e passar novamente pelo processo de construir uma relação de confiança no qual precisei mostrar resultados rápidos, e, consegui!

RH Pra Você: De que maneira você avalia o mercado de trabalho para os profissionais de RH?

Meire: O mercado de trabalho está em transformações e alguns profissionais ainda não ingressaram nesta mudança. Ao falar de RH é preciso abordar a transição do segmento do burocrático/operacional para o digital/inovador. Diante deste panorama, os profissionais têm o dever de sustentar o processo evolutivo. Muitas empresas já perceberam este fato e estão em busca de pessoas “digitais”. E, nem todo mundo tem se reciclado.

RH Pra Você: Qual é o perfil de um bom profissional de RH atualmente?

Meire: Em primeiro lugar, o “gostar de pessoas” não é o único requisito para ser bem-sucedido no RH. As pessoas que formam a empresa impulsionam os negócios. Então, ser um profissional diferenciado é ter em mente as expectativas organizacionais e procurar fornecer os mecanismos necessários aos colaboradores para o alcance das metas. Outro fator fundamental nesta carreira é caminhar em sincronia com a inovação. Ou seja, acompanhar os acontecimentos globais a fim de compreender como impactam o ambiente corporativo. Em suma, a tendência é uma atuação ágil, de escuta e empatia com a intenção de encontrar as melhores alternativas e se reinventar a cada possibilidade.

Gostou desse post? Compartilhe!